Nacional

0 642

prefeituraA Prefeitura de São Luís, por intermédio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), promoveu a I Feira Cultural do Programa Nacional de Inclusão de Jovens (Projovem Urbano). O evento simbolizou a conclusão da primeira unidade formativa do programa, iniciada em 27 de maio. Com o tema “Maranhão, meu tesouro, meu torrão”, o evento foi realizado na sede social do Instituto de Previdência e Assistência do Município (Ipam) e contou com a participação de 13 Unidades de Educação Básica (U.E.B.) onde o programa é desenvolvido.

De iniciativa do governo federal, o Projovem Urbano é executado em parceria com estados e municípios. O objetivo é a reinserção de jovens com idades entre 18 e 29 anos no processo de escolarização. Além de concluir o Ensino Fundamental, o programa oferece cursos de iniciação profissional com certificado e aulas de informática. São Luís é, atualmente, a capital brasileira com o maior número de adesões ao Projovem Urbano em todo o Brasil.

“Issoreflete o compromisso do prefeito Edivaldo com a educação em nossa cidade, promovendo o acesso à educação, reforçando as iniciativas no campo da educação profissional e ampliando as possibilidades de geração de emprego e renda. Parabenizo todos os jovens por terem vencido esta primeira etapa, e parabenizo também os educadores pelo trabalho realizado até aqui. Que vocês possam ser fonte de inspiração para os seus educandos”, disse o secretário de Educação, Geraldo Castro Sobrinho.

ATIVIDADES
A I Feira Cultural do Projovem Urbano é uma mostra de todos os conteúdos e atividades trabalhados na Unidade Formativa I do programa, que teve como tema “Juventude e Cultura”. As pesquisas realizadas pelos jovens sobre aspectos da cultura maranhense resultaram em cartazes e maquetes confeccionados pelos próprios estudantes em sala de aula.

Na U.E.B. Rosália Freire, o objeto de pesquisa foi o cazumbá. Após a pesquisa sobre o personagem característico do bumba meu boi, os estudantes produziram cazumbás em miniatura, que foram expostos durante o evento. “A participação dos jovens nesta feira cultural contribui para o reconhecimento dos seus valores como cidadão. Eles tiveram oportunidade de compreender a própria cultura e trabalhar seus aspectos teóricos e práticos, e, a partir daí, adquirir conhecimento”, explicou Raimunda Oliveira, professora de participação cidadã do núcleo do Projovem Urbano da escola.

A pesquisa sobre o cazumbá fomentou o empreendedorismo entre os estudantes. As miniaturas produzidas pela turma foram compradas pelo Boi da Floresta do Mestre Apolônio e serão distribuídas na festa da morte do boi, agendada para o último domingo de setembro. Nadiz Cruz, presidente do Boi da Floresta, visitou a exposição montada pelos jovens. Para ela, o programa será um fator de transformação social na vida dos jovens. “É uma oportunidade ímpar na vida desses jovens e adultos e nós buscamos valorizar o trabalho desenvolvido por eles, já que temos, entre os nossos brincantes, alunos do Projovem Urbano”, destacou Nadir.


A I Feira Cultural do Projovem Urbano é uma mostra de todos os conteúdos e atividades trabalhados na Unidade Formativa I do programa
Músicas, sotaques maranhenses e literatura de cordel foram os assuntos abordados pelas U.E.B. Cidade Olímpica e João de Souza Guimarães e Carlos Madeira. Já as U.E.B Carlos Madeira e Luzenir Mata Roma abordaram o teatro: apresentaram os espetáculos “Casamento Matuto” e “O desenvolvimento folclórico e cultural do Maranhão”. Durante o evento, o público também pode conferir as apresentações das escolas U.E.B Rubem Almeida, U.E.B. Newton Neves, U.E.B José Ribamar Bogéa, ,U.E.B Mario Andreazza, U.E.B Gomes de Sousa,U.E.B Alberto Pinheiro e U.E.B Monsenhor Frederico Chaves.

Gilson Costa Frazão, 30 anos, participa do Projovem Urbano junto com sua esposa, Maria do Rosário, 27 anos. Para ele, o programa é sinônimo de recomeço. “Estou gostando de tudo. As aulas me fazem lembrar do passado e também estão me ensinando coisas novas. O melhor é que, com a sala de apoio, podemos deixar nossos filhos e estudar juntos, eu e minha esposa”, completou.

Fonte: secom/Prefeitura 

0 478

Foto 2 - Governo convida municípios para a Feira de AgriculturaNa primeira rodada de vistas aos municípios da Baixada Maranhense, ocorrida no início deste mês, para divulgar a Feira da Agricultura Familiar e Agrotecnologia do Maranhão (Agritec), que acontece entre os dias 27 e 29 deste mês, em São Bento, a equipe da Secretaria de Estado da Agricultura Familiar (SAF) e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) visitou os municípios de Central, Porto Rico, Cedral, Guimarães, Peri Mirim, Palmeirândia e Bequimão, em mais uma ação do governo Flávio Dino, de aproximação entre Estado e municípios maranhenses.

 A Agritec é uma iniciativa do Governo, em parceria com o Sebrae e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), com o objetivo de aproximar os agricultores, com a troca de experiências, assim como ofertar aos produtores e técnicos rurais conhecimentos que impulsionem a agricultura familiar no Maranhão.

 A primeira versão da feira foi realizada, no ano passado, em Caxias, região dos Cocais. Este ano, por determinação do governador Flávio Dino, a feira será realizada em quatro municípios polos – São Bento, Açailândia, Caxias e Bacabal – com a meta de alcançar e beneficiar muito mais municípios com os conhecimentos disseminados pela feira. Com as quatro feiras, a perspectiva é envolver cerca de 80 municípios maranhenses.

 Mobilização

 Além de convidar os municípios para participação na feira, inclusive com exposição de suas produções e experiências, a mobilização serve para aproximar o Sistema de Agricultura Familiar das prefeituras municipais, abrindo diálogos fundamentais para o desenvolvimento do campo. “Estamos aqui para dizer que as portas da SAF estão abertas aos prefeitos e que é compromisso primordial do governador Flávio Dino desenvolver a agricultura familiar no Maranhão. Estamos deixando o gabinete e indo a campo, onde as necessidades podem ser vistas e sentidas”, explicou o secretário-adjunto Júlio César Corrêa, que coordena a equipe de mobilização.

 O secretário avalia também que o estado vive um momento novo com a Agritec. “Saímos da lógica das grandes feiras agropecuárias e trazemos um novo modelo, em parceria com a Embrapa e o Sebrae, com foco no pequeno produtor rural, no trabalho das famílias que tiram seu sustento da terra”, explicou o secretário-adjunto Júlio César Corrêa.

 No primeiro município visitado, Central, o prefeito Vanderlino de Jesus sublinhou o caráter inédito da visita. “Jamais recebemos uma secretaria de Estado aqui, e não tenho conhecimento que o mesmo ocorreu nos municípios próximos. Central, da mesma forma, está de portas abertas para dialogar com o Governo do Estado”, disse o prefeito.

 “Sempre sentimos falta de um olhar mais próximo do Governo do Estado. Essa é uma mudança muito grande”, disse o vice-prefeito de Porto Rico, Jorge Santos, que na ocasião representou a prefeita Rosa Ivone Braga. Também participaram das visitas de mobilização, secretários municipais, vereadores, presidentes de sindicatos rurais, cooperativas e representantes da comunidade em geral.

 Exposição

 Os agricultores dos municípios foram convidados a expor produtos produzidos na região. Farinha de mandioca, frutas, artesanato com buriti e beneficiamento do babaçu, queijos variados e cachaça de mel, foram alguns dos produtos dos municípios já listados para exposição durante a Agritec.

 “A Feira faz parte do empenho do Governo do Estado em dar atenção necessária para aumentar os índices de desenvolvimento humano no Maranhão, em consonância com o Programa Mais IDH. Com a Agritec, vamos tirar o agricultor familiar da falta de conhecimento tecnológico e científico, aproximando a academia e as agências de pesquisa no campo, como a Embrapa, das famílias que, além de mostrar sua produção e fazer negócios, terão acesso às oficias e minicursos que acontecerão durante os três dias”, ressaltou o secretário Júlio Corrêa.

 “É o maior evento já realizado na região. A estrutura contará com estandes, salas para minicursos e oficinas, exposição de produtos agrícolas, cursos de piscicultura, beneficiamento de pescado e carnes, entre outros”, disse Rosa Amélia Borges, representante do Sebrae.

 A Agritec acontecerá na Fazenda Escola da Universidade Estadual do Maranhão, no município de São Bento, território de Campos e Lagos, da Baixada Maranhense. As visitas de mobilização acontecem durante todo o mês de agosto, em toda a região, até as vésperas do evento.

0 316

flavidilmaEm visita à cidade de São Luís (MA), a presidenta Dilma Rousseff participou, nesta segunda-feira (10), da entrega de 2.020 unidades habitacionais do programa Minha Casa Minha Vida. Em Caxias (MA), Campo Grande (MS) e Anastácio (MS) também houve entrega simultânea de moradias para pessoas com renda familiar de até R$ 1.600,00. Somadas, as 4.467 casas irão beneficiar mais de 17 mil pessoas nos dois estados.

Todas as unidades são equipadas com infraestrutura completa: pavimentação, redes de água, esgotamento sanitário, drenagem, energia elétrica e acesso ao transporte público. As casas, de 45 metros quadrados, são divididas em 2 quartos, sala, banheiro, cozinha e área de serviço.

“Os brasileiros sonham em ter um carro, um diploma, mas os brasileiros, todos, sonham com a casa própria. E é isso que nós estamos aqui, juntos, realizando: o sonho da casa própria”, disse Dilma Rousseff, em São Luís, onde foram entregues 1.300 moradias do Residencial Amendoeira (Etapas 1,2 e 3) e 720 do Residencial Santo Antônio. “Essas casas foram construídas com recursos arrecadados pelos impostos. E [essa] é uma decisão política, construir casas para aqueles que mais precisam”.

Dilma garantiu que a terceira etapa do Minha Casa Minha Vida será lançada no dia 10 de setembro, com mais três milhões de moradias. “Vamos continuar destinando recursos públicos para habitação popular, sim”, destacou a presidenta. “Nós não vamos deixar haver retrocesso nos programas sociais. E é fundamental que, no final de 2018”, prosseguiu Dilma, “mais 3 milhões de famílias brasileiras tenham direito a um lar parachamar de seu”.

Segundo o governador do Maranhão, Flávio Dino, os beneficiários do Minha Casa Minha Vida no estado representam “muito do que já foi feito” no Brasil. “Uma casa não é feita apenas de parede e telhado. É feita de gente, de famílias, de calor e de esperança”, afirmou Dino. “Estamos aqui, nesse momento, simbolicamente, num abraço à democracia, à liberdade, à Constituição e ao governo da presidenta Dilma Rousseff. Esse é o caminho do Brasil”.

Os discursos de Dilma e Flávio Dino foram acompanhados ao vivo, por meio de um telão, pelas demais autoridades nas três cidades onde ocorreram as entregas. Em Caxias, a cerimônia de entrega das chaves de1.000 unidades do Residencial Vila Paraíso (blocos C e D) contou com a presença da presidente da Caixa Econômica Federal, Miriam Belchior. “O MCMV constrói apenas casas, mas novas vidas para as pessoas”, disse Belchior.

A ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello participou da entrega de 809 unidades do Residencial Jardim da Independência II, em Anastácio. “É um dia de comemoração”, festejou, Campello. “Foi com os cursos do Pronatec que conseguimos qualificar os trabalhadores que ajudaram a construir o Jardim Independência”, lembrou a ministra. Ela observou que o condomínio possui quadra poliesportiva, centro comunitário, creche, além de uma academia voltada para a terceira idade.

Já em Campo Grande, 688 casas do Residencial Celina Jalad foram entregues pelo ministro das Cidades, Gilberto Kassab. De acordo com o ministro, o programa habitacional já entregou quase 2,4 milhões de unidades no País. “Aqui mesmo, estaremos entregando, nas próximas semanas, mais 700 unidades”, anunciou.

Investimentos

O Ministério das Cidades já investiu, desde 2003, cerca de R$ 8,1 bilhões pelo Minha Casa Minha Vida no Maranhão. R$ 2,2 bilhões em São Luís. Em Caxias, já foram injetados R$ 286,4 milhões no âmbito no programa. No Mato Grosso do Sul, foram R$ 5 bilhões, R$ 2,5 bilhões para a capital, Campo Grande, e R$ 49,5 milhões para Anastácio.

Fonte:
Portal Brasil, com informações do Ministério das Cidades.

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

Para ampliar o número de atendimentos e oferecer um serviço de reabilitação especializado, com estrutura adequada para garantir resultados que reflitam na melhoria da qualidade de vida dos pacientes, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES), inaugurou, na sexta-feira (7), no Centro Especializado em Reabilitação e Promoção da Saúde (CER) do Olho D’água, os setores de neuropediatria, pilates e reabilitação física, que aumentará de 600 para 2.000 a média de assistência à população nessas áreas, todas ofertadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

 Já funcionavam no CER os serviços de reabilitação física e intelectual, fisioterapia, psicologia, educação física, terapia ocupacional, assistência social, psicopedagogia, hidroginástica, fonoaudiologia e dança. Incluindo todas as especialidades, são realizados por mês aproximadamente três mil atendimentos.

 Esteve presente para a inauguração dos novos serviços, o secretário de Estado de Saúde, Marcos Pacheco, diretores de unidades de saúde, profissionais da área de reabilitação física e intelectual e o corpo médico do Centro.

 Na ocasião, a diretora geral do CER, Renata Caldas, ressaltou a importância da ampliação, que alcança desde as crianças, ao atendimento geriátrico. “Aumentar o número de atendimentos diminui a distância entre aqueles que precisam desses serviços, pois tornamos o acesso deles possível”, afirma a diretora.

 Para ser atendido pelo CER, o paciente é encaminhado por um especialista da rede pública de saúde para atendimento dentro dos serviços oferecidos. Não há filas de espera, nem marcação de consultas por telefone. Após encaminhamento o paciente agenda na recepção a avaliação, que será realizada pelos profissionais do Centro e, então, é iniciado o acompanhamento pela equipe multidisciplinar, que inclui 15 fisioterapeutas, 12 terapeutas ocupacionais, três psicopedagogos, dois fonoaudiólogos, duas assistentes sociais, dois educadores físicos, um psicólogo, um acupunturista e um neuropediatra.

 O secretário Marcos Pacheco, evidenciou os esforços do governo Flávio Dino com a promoção da saúde, que não se faz apenas com hospital. Para ele, esse é um dos mais bem estruturados Centros Especializados em Reabilitação do Norte-Nordeste do Brasil. “Para promoção total da saúde é preciso contar com uma equipe multidisciplinar, com diferentes especialidades. Um paciente com sequelas de algum agravo já tratado em um hospital precisa de um centro como esse para melhorar sua qualidade de vida. Quando falamos em reabilitação, falamos de autonomia e se fôssemos resumir o que estamos vendo aqui, seria o produto de um trabalho coletivo, que oferece autonomia e dignidade para os nossos pacientes”, afirma Pacheco.

 A arquitetura funcional do CER facilita a atuação dos profissionais e a circulação de pacientes com necessidades especiais. Todas as salas atendem tecnicamente as áreas de Fisioterapia e Terapia Ocupacional que se relacionam diretamente com o processo de reabilitação. A área de reabilitação física possui bicicletas e esteiras ergométricas, que serão utilizadas em vários programas, a destacar os que envolvem pacientes com doenças cardíacas e respiratórias. Os pacientes dessa especialidade também utilizam a piscina em atividades dirigidas.

 A neuropediatra, Socorro Veras, responsável por um dos atendimentos recém-inaugurado, explica que o serviço neuropediatrico é voltado para uma parcela da população infantil que não tem desenvolvimento da capacidade motora ou intelectual, ou portadores de doenças congênitas que atrasam as funções psicomotoras. “Aqui temos suporte para fazer a reabilitação através da neuropediatria em parceria com as demais especialidades. Encaminhamos a criança para avaliação com o fisioterapeuta, psicopedagogo ou terapeuta ocupacional, onde eles elaboram quais as atividades serão dispostas para o tratamento na sala de recursos”, assinala a médica.

 Maria Pereira, 42, é dona de casa e tem uma filha que necessita de atendimento neuropediatrico. Ela procurou o CER para iniciar o tratamento e conta estar empolgada com a estrutura que encontrou. “Chegar aqui e encontrar muitos aparelhos em um espaço grande, cheio de profissionais, me deixou muito feliz, porque quero ver a minha filha bem e tenho certeza que aqui ela terá toda a ajuda para isso acontecer”, afirmou.

fonte: Secom

dilmaA presidenta Dilma Rousseff reuniu-se nesta quinta-feira (30) com representantes do governo de 26 estados e do Distrito Federal na sede do Palácio da Alvorada. Entre os temas discutidos no encontro, que contou com a presença de ministros de Estado, projetos em infraestrutura de transportes, educação, saúde e segurança pública.

 Em discurso na abertura da reunião, Dilma propôs o estabelecimento de um pacto de cooperação federativa entre governo federal e estados. “O bom caminho é o da cooperação, que é a maior tecnologia já inventada pelo ser humano”, afirmou Dilma Rousseff.

Segundo a presidenta, o esforço conjunto é importante no momento em que o País passa por um ajuste fiscal e se prepara para uma nova etapa de crescimento econômico. “Estamos vivendo um período de transição para um novo ciclo de expansão que vai ser puxado pelo investimento e o aumento da produtividade”, disse.

Dilma observou que o Brasil reúne as condições para crescer com preços baixos, pleno emprego e saúde e educação de qualidade. “A economia brasileira é mais forte, sólida e resiliente do que era há alguns anos, quando enfrentou crises similares.”

Ainda de acordo com a presidenta, o governo pretende definir com os governadores uma carteira de projetos em infraestrutura e logística no período entre 2015 e 2018. “O que nós queremos agora é que essa carteira seja estruturada porque sabemos que investimentos levam tempo para maturar”. Ela afirmou que alguns estados já apresentaram projetos para o setor.

A importância da reforma do Imposto sobre Comercialização de Mercadorias e Serviços também foi destacada pela presidenta Dilma em sua intervenção. Para Dilma, o imposto é parte de um contexto microeconômico mas tem consequências “macroeconômicas”, como a criação de novos postos de trabalho.

Segurança Pública
 Durante a reunião, o ministro da Justiça, Eduardo Cardozo, fez uma apresentação sobre a situação da segurança pública no Brasil. O governo federal propôs um pacto nacional contra a violência, com foco na redução de homicídios dolosos e na redução do déficit carcerário no Brasil. “Precisamos desenvolver políticas de segurança e sociais para populações vulneráveis. Podemos interromper o número de homicídios, num horizonte de agora até 2018”, ressaltou a presidenta.

O governo também pretende unir esforços com os estados e apresentar soluções para o problema da superlotação nos presídios brasileiros. Segundo dados do Ministério da Justiça, a população carcerária é de cerca de 600 mil detentos, que ocupam 276 mil vagas. O déficit prisional atingiu, portanto, o patamar de 231 mil vagas.

Fonte: Portal Brasil.